O Escritório

Jones Day tem uma história de mais de 125 anos e uma cultura de atendimento ao cliente e profissionalismo baseada em valores compartilhados explícitos. Esses valores incluem a prestação de serviços jurídicos gratuitos também conhecidos como pro bono, o desenvolvimento da diversidade em nossa profissão e o apoio a esforços de divulgação em todo o mundo.

 

Jones Day tem uma longa história e compromisso com trabalho pro bono, serviço público e envolvimento da comunidade em todas as nossas localidades ao redor do mundo. Por conta desse compromisso, as questões pro bono e de serviço público realizadas pelo Jones Day recebem o mesmo nível de atenção e dedicação profissional que oferecemos às questões realizadas em nome de clientes pagantes.

 

No Jones Day você verá advogados de diversas origens atuando como os principais responsáveis por importantes assuntos de seus clientes, grupos de prática e escritórios em todo o mundo. Estamos empenhados em recrutar, manter e promover advogados altamente qualificados provenientes de culturas diversas e definimos prioridades no recrutamento de nível de entrada, no recrutamento de novos advogados para o escritório, no desenvolvimento e retenção de advogados do sexo feminino e de minorias étnicas e na orientação, treinamento e conscientização sobre diversidade.

 

A Fundação Jones Day, criada em 1987, é uma organização sem fins lucrativos fundada pelos advogados e funcionários do Jones Day. A missão da Fundação é apoiar financeiramente os esforços que incluem a promoção do Estado de Direito nos países em desenvolvimento, fomentando a inovação acadêmica, na medicina e nas artes, melhorando as condições de vida e oportunidades econômicas para as pessoas em ambientes pobres (especialmente crianças e mulheres) e proporcionando apoio e conforto às pessoas que sofrem com desastres naturais e outros desastres em todo o mundo.

História do Jones Day

O Jones Day iniciou suas operações como uma parceria formada em 1893 por dois eminentes advogados de Cleveland, Ohio, EUA, o juiz Edwin J. Blandin e William Lowe Rice. O juiz Blandin era conhecido por sua habilidade no tribunal e temperamento judicial e Rice como um advogado com tino empresarial e instinto empreendedor. Logo de início, eles tomaram a importante decisão de contratar como seu primeiro associado Frank Hadley Ginn, que viria a ser a força propulsora por trás de nosso crescimento inicial e do estabelecimento da forma de governança do Sócio Administrador que continua a ser a marca do Escritório até hoje.

1893: Formação do Escritório Blandin & Rice, em Cleveland, Ohio

1946: Inauguração do escritório de Washington, D.C. que vem a ser a primeira expansão

1948: John W. Reavis torna-se o Sócio Administrador

1967: Fusão do escritório de Washington, D.C. com o escritório Pogue & Neal

1970: Surrey & Morse inaugura escritórios nas cidades de Nova Iorque, Paris e Londres; fusão cria os primeiros escritórios internacionais para o Jones Day em 1986

1973: Inauguração do escritório de Los Angeles que vem a ser o primeiro escritório na Costa Oeste dos Estados Unidos

1975: Allen C. Holmes torna-se o Sócio Administrador

1980: Inauguração do escritório de Columbus

1981: Inauguração do escritório de Dallas

1985: Richard W. Pogue torna-se o Sócio Administrador

1985: Inauguração do escritório de Irvine

1986: Inauguração do escritório de Hong Kong

1987: Inauguração do escritório de Chicago

1989: Fusão com o escritório Hansell & Post de Atlanta; inauguração dos escritórios de Pittsburgh, Tóquio, e Bruxelas

1990: Inauguração do escritório de Taipei

1991: Inauguração do escritório de Frankfurt

1993: Patrick F. McCartan torna-se Sócio Administrador

1998: Inauguração do escritório de Sydney

1999: Inauguração do escritório de Xangai

2000: Inauguração dos escritórios de Madri e Vale do Silício

2001: Inauguração dos escritórios de Houston; Cingapura e Milão

2002: Fusão com o escritório Showa Law Office expande o escritório de Tóquio; 

2003: Stephen J. Brogan torna-se Sócio Administrador

2003: Fusão com o escritório londrino Gouldens consolida a presença do Jones Day na Europa; inauguração dos escritórios de San Francisco, Munique, e Pequim

2004: Advogados do escritório-boutique Pennie & Edmonds sediado em Nova Iorque e especialista em propriedade intelectual afiliam-se ao Jones Day; inauguração dos escritórios de San Diego e Moscou

2009: Fusão com o escritório mexicano De Ovando y Martínez del Campo, S.C. e inauguração do escritório em Dubai expandem a presença do Jones Day na América Latina e Oriente Médio

2011: Inauguração do escritório de Boston no dia 1º de Janeiro tornando-o primeiro do Jones Day no território da Nova Inglaterra; e do escritório de Riyadh também no dia 1º de Janeiro; abertura do primeiro escritório no continente Sul Americano na cidade de São Paulo; Jones Day aumenta sua presença na Arábia Saudita com a inauguração do escritório de Alkhobar ao final de 2011

2012: Inauguração do escritório de Düsseldorf e expansão da presença do Jones Day na Alemanha que conta agora com três escritórios.

2013: Inauguração do escritório de Amsterdã no dia 1º de Fevereiro e do escritório de Miami em 9 de Maio. A Índia foi adicionada como uma área de atuação no dia 9 de Maio, mas é considerada como um escritório.

2014: Inauguração do escritório de Perth no dia 1º de Abril.

2015: Inauguração do escritório de Detroit no dia 1º de Julho.

2016: Inauguração do escritório de Brisbane no dia 1º de Fevereiro e do escritório de Minneapolis no dia 6 de Junho

2018: Inauguração do escritório de Melbourne.

O desenvolvimento do sistema de Sócio-Administrador

Frank Ginn desenvolveu o conceito de Sócio-administrador que até hoje é usado no Jones Day. Na visão de Ginn, os advogados trabalham melhor quando se concentram em advogar, em vez de se envolver em assuntos administrativos ou relativos à alocação de renda. Ele não via nenhum benefício e custo significativo em um sistema que tentasse atribuir mecanicamente crédito por conta de captação de clientes ou de outras responsabilidades aos sócios, de modo que nenhum sistema desse tipo jamais se desenvolveu no escritório. Ginn dedicava-se ao bem-estar do Jones Day e de cada sócio e isto permitiu a institucionalização do sistema Sócio-Administrador, através do qual o Sócio-administrador tem autoridade para tomar todas as decisões administrativas, incluindo a designação de um sucessor. Desde então, esse sistema de governança nunca foi objeto de qualquer desacordo no Jones Day. É um dos componentes fundamentais de uma abordagem de gestão institucional que tem sido um elemento importante do sucesso do escritório no último século.

O Princípio da Independência

Um dos princípios mais importantes de Frank Ginn era que o Jones Day deveria manter sua liberdade e independência para recusar quaisquer representações. Antes de se tornar um dos sócios-fundadores da McKinsey, conhecida empresa de consultoria, Marvin Bower atuou como advogado no Jones Day. Quando questionado sobre sua vida profissional, Bower disse que uma das lições mais inesquecíveis que aprendeu foi o valor da independência institucional, como lhe foi ensinado por Frank Ginn. Um bom exemplo deste aprendizado foi quando Ginn optou por não representar um cliente envolvido em um importante processo de fusão, já que ele estava convencido de que se tratava de uma operação envolvendo bancos de investimento que não resultaria em algo tangível. O banco informou que levaria o caso para outro escritório que acabou atuando neste por um longo período e acabou perdendo.  À época, sua decisão inicial ficou conhecida por todos no escritório Jones Day e diante de sua derrota fez com que Ginn se tornasse conhecido por grande parte da comunidade empresarial de Cleveland. Sua decisão de recusar a representação teve claras consequências econômicas de curto prazo para o Jones Day, mas, como o próprio Bower posteriormente disse "se você não está disposto a aceitar as consequências advindas da obediência aos seus princípios, não faz sentido ter princípios".

O começo de um escritório nacional

Antes de sua morte em 1938, Frank Ginn havia designado, por instrumento escrito (prática padrão mantida até hoje), Thomas H. Jones como seu sucessor. Jones havia sido um excelente zagueiro de futebol no estado de Ohio, ao mesmo tempo em que mantinha um histórico acadêmico que levou à sua eleição para a Phi Beta Kappa. Imensamente popular entre os clientes do escritório e seus advogados, Jones, como Ginn, tinha a admiração e respeito de todos. Jones deu continuidade às fortes tradições de liderança que Frank Ginn havia estabelecido e deu à instituição o calor de sua personalidade durante um período muito turbulento.

A era Reavis

Jack Reavis assumiu a posição de Sócio Administrador em 1948, um momento crítico na história do Jones Day. O escritório estava se recuperando das tensões causadas pelos drenos de mão-de-obra da Segunda Guerra Mundial e reintegrando os sócios que retornavam aos seus postos. Os clientes estavam ocupados cancelando os contratos com governo e o governo Truman tentou forçar um acordo inflacionário de mão-de-obra aos trabalhadores da área siderúrgica ao confiscar as siderúrgicas do país. Luther Day e outros advogados representando as principais empresas siderúrgicas do país se opuseram a essa tentativa na Corte Suprema com sucesso. Tudo isso envolveu um período de intensa atividade para o Jones Day

O escritório verdadeiramente nacional

Allen Holmes tornou-se o quarto Sócio Administrador do Jones Day no início de 1975, o primeiro de dois advogados consecutivos que pertenciam a área Antitruste a chefiar o escritório. Além das forças econômicas que Reavis e outros previram, as decisões das Supremas Cortes de Goldfarb contra o Estado de Virginia e Bates e contra o Estado de Arizona que proibiam as tabelas estaduais de taxas mínimas e permitiam a publicidade de advogados, anunciaram mudanças significativas no exercício da advocacia dali por diante. Holmes estava à frente da maioria de seus colegas na idealização do papel nacional e, em última instância, global da prática do direito empresarial e isso incluía a maioria dos sócios do escritório de Washington. Eles não compartilhavam da mesma visão que o Jones Day e deixaram o escritório e esta foi a única saída em grupo significativa na história do escritório para formar um escritório de advocacia localizado em Washington e conhecido como Crowell & Moring. Cerca de 30 sócios e associados, incluindo Erwin Griswold, Jim Lynn e Welch Pogue, permaneceram e formaram o núcleo do novo escritório Jones Day em Washington; hoje, o escritório de Washington é maior do que o escritório inteiro à época.

O movimento em busca dos mercados internacionais

Dick Pogue era, por si só, um dos advogados da área de Antitruste mais bem-sucedidos nos Estados Unidos e assim como Allen Holmes também atuou como presidente da Seção Antitruste da ABA, uma condecoração até então só obtida por outros dois sócios da área de Antitruste do Jones Day (Phil Proger e Kathy Fenton). Pogue continuou a expansão do Jones Day em importantes mercados no território norte-americano (inauguração dos escritórios em Irvine, estado da Califórnia, Chicago, Atlanta e Pittsburgh), mas seu principal feito, durante seu mandato, foi a abertura dos primeiros escritórios do Jones Day fora do território norte-americano. Depois de um estudo considerável, o Escritório concluiu que a melhor maneira de tornar este sonho realidade seria através de Nova York, que era a principal conexão entre a prática jurídica norte-americana e internacional. A fusão com o Surrey & Morse, em 1986, conceituado escritório de advocacia internacional que possuía escritórios em Nova York, Londres, Paris e Washington possibilitou esta expansão. A expansão foi liderada por dois advogados internacionais também muito conceituados, Walter Surrey e David Morse. Na verdade, David Morse teve a honra única de aceitar o Prêmio Nobel da Paz em nome da Organização Internacional do Trabalho quando dirigia a organização. Os senhores Surrey e Morse ocuparam vários cargos internacionais no período pós-Segunda Guerra Mundial e depois se juntaram para estabelecer o que, em 1985, se tornou um escritório que detinha de 100 advogados e seus dois fundadores estavam prestes a se aposentar como administradores. Nos anos seguintes, o Escritório expandiu-se para Hong Kong, Bruxelas, Tóquio, Taipei e Frankfurt.

A Instituição Global

Quando Dick Pogue designou Pat McCartan para se tornar Sócio Administrador em 1 de janeiro de 1993, a escolha era óbvia. Seus 32 anos trabalhando no Jones Day renderam a McCartan a confiança e o respeito de todos os sócios. Ele desenvolveu uma das mais bem-sucedidas áreas de contencioso e de responsabilidade sobre produtos no país e, sob sua liderança, o escritório expandiu drasticamente sua plataforma de contencioso – de regional para nacional e aprimorou estrategicamente sua gama de prestação de serviços para áreas direcionadas ao mercado.

O futuro do Jones Day

Em 2002, Pat McCartan nomeou Stephen J. Brogan como o sétimo Sócio Administrador do Jones Day e Brogan tornou-se o primeiro Sócio Administrador a não residir em Cleveland. Desde então, o Escritório continuou a expandir sua presença em todo o mundo com a inauguração de novos escritórios em San Francisco (2003), San Diego (2004), Boston (2011), Miami (2013) e Detroit (2015) no território norte-americano e Beijing (2003), Munique (2003), Moscou (2004), Cidade do México (2009), Dubai (2009), Riad, Jeddah e Alkhobar (2011), além de São Paulo (2011), Düsseldorf (2012), Amsterdã ( 2013), Perth (2014) e Brisbane (2016) fora dos EUA. Brogan iniciou sua carreira no Jones Day como “summer associate” ou associado de verão em 1976 e ao longo de seus 38 anos no escritório desempenhou um papel fundamental em seu crescimento - primeiro como parte da equipe de Contencioso de Pat McCartan que produziu uma das melhores áreas de Contencioso no mundo e, em seguida, de 1989 à 2002 como sócio responsável pelo escritório de Washington e agora como Sócio Administrador.

Condecorações

Nosso compromisso com a prestação de serviço ao cliente tem repetidamente conquistado a primeira posição no The BTI Consulting Group, uma organização que monitora o nível de satisfação do cliente com os serviços jurídicos prestados pelos escritórios de advocacia. A classificação anual é baseada em entrevistas individuais e independentes com mais de trezentos diretores jurídicos das empresas listadas na Fortune 1000.

O Jones Day é o único escritório a obter as melhores notas ano após ano - nenhum outro escritório igualou nosso recorde de primeiro lugar no ranking. Desde sua criação há dezessete anos, o Jones Day ficou em primeiro lugar por dez vezes, incluindo em 2018. A qualidade do serviço ao cliente prestado pelo Jones Day de maneira consistente rendeu ao Escritório um lugar entre as empresas de elite eleitas para o hall da fama do BTI. Em 2018, o Jones Day tornou-se o único escritório na história da pesquisa BTI a alcançar o status de "Melhor dos Melhores" em todas as 17 categorias que impulsionam o serviço de excelência ao cliente por dois anos consecutivos. Essas categorias incluem:

  • Empenho em ajudar
  • Foco no cliente
  • Entendimento dos negócios do cliente
  • Atribuição de valor para o dinheiro (US$)
  • Competências Jurídicas
  • Produtos de Qualidade
  • Atendimento ao Escopo Principal
  • Estreita Comunicação com o Cliente Gerenciamento de mudanças inesperadas Gerenciamento de Problemas
  • Amplitude dos Serviços
  • Auxílio na Solução de Adversidades dos Negócios
  • Reputação Regional
  • Comunicações Não Solicitadas
  • Reunião de Recursos
  • Antecipação de Necessidades dos Clientes
  • Abordagem Inovadora

Reconhecimento pela Excelência na Qualidade dos Serviços em todo o Jones Day

Nossa dedicação para prestar os melhores serviços para todos nossos clientes não passou desapercebida e conquistou prêmios e condecorações comerciais para o Jones Day ano após ano:

Reconhecida como "Líder do Contencioso"
Reportado no BTI Litigation Outlook 2019 e baseado em entrevistas com empresas da Fortune 100 (2019)

"Departamento de Contencioso do Vencedor do Ano"
Pela revista American Lawyer (2018)

Primeiro Lugar em Número de Negócios em Fusões e Aquisições Mundialmente A Cada Trimestre Desde 2000
Bloomberg, Thomson Reuters (2017)

Chambers Global

Foram reconhecidas 106 áreas de atuação no âmbito nacional e regional, com reconhecimento global de nove áreas. (2018)

Chambers Europe
Foram reconhecidas 68 áreas de atuação, com reconhecimento em toda a Europa de onze áreas. (2018)

Chambers USA
Foram reconhecidas 85 áreas de atuação, com reconhecimento nacional de 22 áreas e reconhecimento de primeira linha para nossas áreas de Antitruste, de Restruturação e Reorganização Societárias, de Direito Trabalhista e de Varejo. (2018)

Chambers Asia-Pacific
Foram reconhecidas 57 áreas de atuação, com reconhecimento em toda a Ásia de seis áreas. (2018)

Chambers Latin America
Cinco áreas de atuação foram classificadas entre as melhores da América Latina e 10 áreas foram as melhores do México. Vinte e dois advogados do Jones Day também foram reconhecidos. (2019)

U.S. News – na categoria "Melhores Advogados®" pesquisa dos "Melhores Escritórios de Advocacia"
O total de 32 áreas de atuação do Jones Day foram condecoradas com o nível 1 no ranking nacional e com a designação de "Escritório de Advocacia do Ano" nas categorias de Contencioso — Antitruste, Restruturação e Reorganização Societárias, Direitos do Devedor Credor/Insolvência. (2018)

Nomeado como um dos Cinco Melhores Escritórios pela "Global Elite" na área de Direito Antitruste & Concorrencial

O Jones Day foi reconhecido pela seção Global Competition Review da revista "Global Elite" todos os anos desde sua criação em 2007. (2018)

Listado Entre os Dez Melhores Escritórios de Advocacia
O Jones Day aparece no Top 10 desde o ano 2000 na pesquisa anual da Corporate Board Member/FTI Consulting na categoria dos melhores escritórios de advocacia. (2017)

The US Legal 500
53 áreas de atuação foram classificadas com reconhecimento de primeira linha para 13 áreas. (2018)

Listada na "Lista dos Mais Importantes nos Tribunais" do National Law Journal
O Jones Day foi reconhecido pela revista por sete anos consecutivos na seção "Apellate Hotlist." (2018)

Reconhecimento das "Áreas de Atuação do Ano" pela Law360
A Law360 nomeou as áreas de Atuação em Tribunais, Restruturação e Reorganização Societárias e de Investigações Criminais Corporativas como as "Áreas de Atuação do Ano." (2018)

Lista de Escritórios de Advocacia mais lembrados pelo Acritas U.S.

A marca de escritório de advocacia número 1 nos Estados Unidos no quesito "conhecimento" e "favorabilidade" dentre os escritórios em geral e especificamente na área de atuação de "Contencioso de alto nível," "Importantes escritórios em F&A" e "Os mais procurados mundialmente." (2018)

Os Escritórios de Advocacia Mais Recomendados pelo BTI

Classificado entre os "Escritórios de Advocacia Mais Recomendados pelos Diretores Jurídicos." (2018)

Vencedor da "Transação de Capital Privado do Ano" pelo LatinFinance

Concedido pelo papel do Jones Day como principal consultor da Fisterra Energy na venda da Ventika para a IEnova. (2018)